A cultura do Comodismo

Tenho observado um problema constante e recorrente entre os jovens e adultos: A tal da preguiça e do desânimo.

Ultimamente tem se tornado comum ver jovens praticamente deitados sobre suas carteiras nas escolas e faculdades do nosso país. Além da má postura, muitos dormem durante o período escolar ou acadêmico.

Tal fato, quando aliado à má estrutura educacional do nosso país traz consigo danos inestimáveis à construção do conhecimento dos nossos jovens que pouco produzem em termos de trabalhos científicos e inovação.

Tenho observado também que as universidades, em especiais as privadas não publicam artigos, nem tampouco estimulam seus alunos a faze-lo, quando fazem, não há como manter certa periodicidade, pois poucos trabalhos possuem requisitos necessários para serem publicados já que muitas vezes não passam de meras cópias de trabalhos alheios, ou seja, não há, de forma alguma a produção científica.

Acredito que a maioria das universidades deveriam manter na grade de seus cursos, principalmente nos períodos iniciais a matéria de metodologia científica e estimular os alunos a produzirem seus trabalhos segundo essas regras: as da Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Este problema não está ligado apenas ao ambiente escolar, os adolescentes e jovens tem agido de forma parecida em casa também. Talvez seja este o motivo pelo qual os jovens tem saído cada vez mais tarde de casa. Os pais da chamada geração “Z” não exigem tanto dos filhos nas tarefas de casa e criam filhos que dependem deles para fazer qualquer coisa.

Os jovens dos anos 90 tinham um senso maior de empreendedorismo, o sonho de realmente construir algo grande. As crianças que nasceram nessa época e que se tornaram os jovens de hoje não têm esse mesmo feeling. Sonham com coisas básicas: – “Uma casa, um carro popular e um emprego público que seja suficiente para pagar as contas.”

Temo pelo futuro do país, pois daqui a 10 ou 15 anos, serão estes jovens que estarão trabalhando para sustentar a previdência social dos que hoje têm entre 30 e 40 anos de idade.

– Se hoje eles se acostumam a serem mimados, mesmo sendo medianos, como estarão preparados para as responsabilidades que o Mundo requer?

Comece estimulando seus filhos e alunos a lerem mais e a realizar as tarefas diárias e os trabalhos escolares e acadêmicos. É inaceitável que um jovem que vive apenas para estudar deixe de entregar as tarefas solicitadas na escola.

Finalmente, eu espero de verdade que essa situação mude. Do contrário estaremos construindo uma “república de bananas”, e com essa nação de conformados, nunca sairemos dessa condição de país de terceiro mundo.

5